Uma dúvida cruel para quem precisa aprender como abrir uma empresa é: vou dar conta de toda a documentação? Será que eu conseguirei descobrir como ter um CNPJ? E os custos? E se eu escolher a tributação errada de impostos?

Primeiramente, é preciso dizer que abrir um negócio não é brincadeira e que, devido a isso, essas preocupações são fundamentadas. Ao mesmo tempo, abrir empresa não pode ser visto como algo apavorante e sim como um passo em direção a um novo rumo profissional.

Caso você seja uma das milhões de pessoas que se perguntam todos os dias como abrir uma empresa, há uma dica excelente: a contratação de um contador profissional.

Mesmo se a questão é como abrir uma microempresa, que é de pequeno porte, a ajuda de um contador vem muito a calhar porque ele tem experiência suficiente para esclarecer diversas dúvidas e dar orientações para criar CNPJ sem sofrimento, dentre outras.

Abertura de empresa: como um contador pode ajudar?

Abrir microempresa é uma decisão seguida de diferentes desafios:

  • Selecionar o setor de atividade;
  • Providenciar materiais e instalações básicos;
  • Aprender como fazer CNPJ;
  • Cadastrar-se no MEI e aprender todas as suas regras

Aprender como abrir uma empresa não é difícil, mas colocar tudo em prática pode ser uma tortura. Afinal, são inúmeros detalhes, vários órgãos a procurar e muitos detalhes.

É nessas horas que a assessoria de um contador profissional vai transformar o procedimento em uma coisa mais leve e rápida, assegurando que a sua empresa esteja em breve pronta para funcionar e com todos os documentos corretos.

Inicialmente, é indicado conversar com um contador e dizer a ele as ideias que se possui sobre como abrir uma microempresa individual. Nessa conversa, deve-se mencionar o quanto se vai investir, qual é o segmento, se haverá um funcionário, onde a empresa ficará localizada, etc.

Todas essas informações ajudarão o contador a especificar o regime tributário: no caso do microempreendedor, o ideal é o MEI, mas o Simples Nacional pode ser uma opção mais atrativa em alguns casos.

Para ajudar ao novo empreendedor a escolher de forma sensata, o contador leva em conta quanto essa empresa poderá lucrar com cada um dos sistemas de tributação e quais são as expectativas do cliente que o procura.

O passo seguinte para o contador será fazer uma lista de documentos que o cliente terá de preparar para que a sua empresa seja cadastrada: muitas vezes, eles se restringem a documentos que comprovem a localização do empreendimento e a CPF/RG do próprio empresário.

Com tudo isso em mãos, o contador efetua o cadastro da empresa em um sistema de tributação.

Simples Nacional ou MEI?

Ambos são regimes de contribuição tributária muito recomendados para microempresas e a diferença entre eles está no faturamento máximo permitido: o Simples Nacional aceita faturamento de até R$ 3.600.000, enquanto o Microempreendedor Individual só pode faturar o equivalente a R$ 81.000 em um ano.

Leia mais no blog.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *