Reportagem globo aloe vera – Qual a sua opinião?

Bloqueador de anúncios detectado

O Blog Harmonia Natureza é sustentando com exibição de anúncios online para os nossos visitantes. Considere nos apoiar desativando o seu bloqueador de anúncios do navegador.

Reportagem globo aloe vera  – Paulo Viana – Editora GLOBO 1997 – Suas folhas são viscosas, pontiagudas e sua cor varia do cinza ao verde brilhante, passando pelo amarelo.

Reportagem globo aloe vera

Seu toque é suave, semelhante à borracha e o interior parece ser feito de geléia.

Personagens importantes na história, como Cleópatra e Alexandre, o Grande, eram seus admiradores.

reportagem-globo-aloe-vera

Os índios americanos já a chamavam de varinha de condão celeste quando Cristóvão Colombo a descobriu, dando-lhe o nome de médico vegetal. Na Grécia antiga, suas aplicações curavam desde a dor de estômago até a queda de cabelo, passando pelas alergias, dores de cabeça, manchas na pele, queimaduras e ferimentos em geral.

Cientistas soviéticos descobriram, recentemente, que ela é capaz de curar também congestão nasal.

Conhecida há pelo menos três mil anos, somente, no último século é que a misteriosa e mágica babosa – chamada também de Aloe Vera – conquistou o interesse da ciência oficial.

Hoje em dia, vários centros de pesquisa nos hospitais e na indústria cosmética estão trabalhando para conhecê-la e aplicá-la nas suas múltiplas funções.

Pertencente à família das Liliáceas, da qual fazem parte a cebola, o nabo e os aspargos, a erva babosa apresenta-se em mais espécies, algumas delas sendo mais eficientes que outras. Suas aplicações, atualmente, embora não totalmente conhecidas, expandiram-se e abrangem problemas como a artrose, a acne, a úlcera e até cardiopatias.

Pesquisa realizadas por vários especialistas são cada vez mais frequentes e parece estar surgindo um consenso científico bastante tranquilizador.

A verdade é que, por ser considerada por muitos como a legítima panacéia universal, a babosa, ou os produtos que a têm como componente da fórmula vende como água no deserto, e o resultado de suas aplicações tem sido fantástico.

Considerada pela comunidade cientifica como antibiótico, adstringente, coagulante, inibidora da dor e estimulante da regeneração dos tecidos e da proliferação das células, essa planta milenar vem conseguindo o respeito de todo o planeta. E, mesmo com toda a tecnologia do séc. 2O, ainda não se descobriu todo o seu potencial.

A Aloe Vera nome pelo qual ela se apresenta em vários produtos cosméticos é constituída de 96% de água e de 4% de complexas moléculas de carboidratos. É essa água toda que a toma capaz de exercer o seu mais importante papel: o de penetrar profundamente em qualquer tecido e lá operar seus efeitos prodigiosos.

Em sua composição foram identificadas inúmeras substâncias. Entre elas estão polissacarídeos contendo glicose, galactose e xilose, tanino, esteróides, ácidos orgânicos, substâncias antibióticas, enzimas de vários tipos, resíduos de açúcar, uma proteína com 18 aminoácidos, vitaminas, minerais, sulfato, ferro, cálcio, cobre, sódio, potássio, manganês e outras.

A mistura de todos os ingredientes ativos na babosa obtida através da geléia que fica dentro da folha e é responsável pela amplitude do seu poder de cura. Por exemplo, uma das enzimas é capaz de destruir uma substância formada na inflamação, enquanto outra substância reage com as enzimas destrutivas e corrosivas, apressando a sua morte.

A vitamina C, encontrada em grandes quantidade na babosa, ajuda a manter a saúde dos vasos sanguíneos, promovendo com isso uma boa circulação.

O potássio, por seu turno, colabora para a manutenção do ritmo cardíaco, além de estimular as funções renais, o que faz da babosa uma verdadeira faxineira no seu corpo.

O cálcio acelera a coagulação e a ativação das enzimas. O cálcio também é responsável pelo controle dos movimentos cardíacos.

O sódio, trabalhando junto ao potássio, estabiliza o nível de hidratação do organismo.

O manganês oferece condições para que as enzimas digestivas trabalhem com maior eficiência, impedindo à formação das dolorosas pedras no rim.

O ferro operando em equipe com as hemoglobinas, ajuda a transportar oxigênio para as células.

Estas são algumas das funções conhecidas da geléia da babosa no nosso organismo.

Mas é interessante observar que essas substâncias só podem agir com tanta eficiência graças à capacidade que a Aloe Vera tem de penetrar nos tecidos, digerindo o tecido morto pela ação e suas enzimas e intensificando a proliferação normal das células.

Há relatórios comprovando que a atividades das enzimas da babosa reduz e em alguns casos elimina cicatrizes, manchas do fígado, rugas, bolhas e outras marcas.

Numa área afetada por alguma ação externa, como uma ferida ou uma mordida de cobra, por exemplo, os desintoxicantes naturais da babosa participaram do processo de cura pela inibição dos efeitos inflamatórios ou venenosos.

Novamente, através do seu extraordinário poder de penetração, a erva reduziria o sangramento pela ação coagulatória, regenerando o tecido.

No caso de atletas contundidos, ou machucados, a utilização da planta tem-se mostrado altamente eficaz, tendo-se registrado casos de restabelecimento em menos de 15 dias.

————————————————————————-

COMPOSIÇÃO DA ALOEVERA

1) As VITAMINAS e sua principal atuação:
Complexo 13: Tiamina-B1, Riboflavina-B2 e Niacina-B3

– A (Beta Caroteno) – Visão, pele, ossos e contra a anemia;
– B1 (Tiamina) – Crescimento dos tecidos e energia;
– B2 (Riboflavina) – Associada a vi[tamina B6 participa da produção das células sangüíneas;
– B3 (Niacina) – Participa da regulação do metabolismo;
– B6 (Piridoxina) – Associada à vitamina B12, participa da produção das células sangüíneas;
– B12 (Cianocobalamina) – Combate a anemia e problemas neuro-patológicos;
– C (Ácido Ascórbico) – Combate as infecções estimulando o sistema imunológico;
– E (Tocoferol) – Juntamente com a vitamina C, combate infecções;
– Ácido Fólico (do Complexo B) – Auxilia na formação do sangue.

2) Os MINERAIS e sua principal atuação:

– Fosfato de Cálcio – Crescimento dos dentes e dos ossos, alimento do sistema nervoso;

– Potássio – Regula os fluídos do sangue e dos músculos, além dos batimentos cardíacos;
– Ferro – Absorve o oxigênio para dentro dos glóbulos sangüíneos e aumenta a resistência às infecções;
– Sódio – Juntamente com o potássio, regula os fluídos do corpo e transporta os aminoácidos e a glicose para dentro das células;
– Colina – Um dos compostos da lecitina, indispensável ao metabolismo;
– Magnésio e Manganês – Preservam o sistema nervoso e os músculos;
– Cobre – Participa da formação do sangue;
– Cromo – Colabora no controle do nível de açúcar no sangue, do metabolismo, da glicose e da circulação..

3) Os MONO E POLISSACARÍDEOS e seus campos de atuação mais importantes:

Os polissacarídeos de cadeias longas parecem ser os verdadeiros responsáveis pelos efeitos milagrosos gerados pela utilização da Aloe Vera. Eles são diametralmente opostos aos monosacarídeos (açucares simples) que não podem ser destruidos pela água. São eles:

– Acemannan: recentemente descoberto e tendo se tornado o maior foco da maioria das pesquisas sobre Aloe, vem sendo apontado como o maior responsável pela ação “milagrosa” da Aloe como agente contra doenças auto-imunes do tipo câncer, AIDS, reumatismo, artrite, alergias.
– Glicose;
– Celulose;
– L-raminose;
– Manose;
– Aldopentose;
– Ácido Urônico;
– Lipase;
– Alínase;

AMINOÁCIDOS

Os aminoácidos são os elementos constituintes das proteínas e enzimas. Em algumas ocasiões chamados de proteínas dissolvidas. Dependendo do que e de como se combinam, os aminoácidos é que produzem os diversos tipos de proteínas.
O organismo necessita de 22 aminoácidos principais dentre os quais oito (nove na infância) são essenciais e 13 não essenciais. O fígado sintetiza os 13 aminoácidos não essenciais, porém os 8 (9) restantes devem ser obtidos pela em fontes alimentícias externas.

4) Os AMINOÁCIDOS ESSENCIAIS:

– Valina, Leucina e Isoleucina;
– Fenilalanina e Treonina;
– Metionina e Lisina;
– Triptofano e Histidina.

A ALOE VERA (Babosa) ingerida contém todos os aminoácidos essenciais (que o organismo não produz), daí a sua importância. São eles:

Valina; leucina; isoleucina: aminoácidos de cadeia ramificada ou BCAAs (branched chain aminoacids). Estes contribuem consideravelmente para o aumento da resistência física, pois durante as atividades de longa duração são utilizados pelos músculos para o fornecimento de energia. Assim, o consumo de aminoácidos de cadeia ramificada diminui a degradação das proteínas corporais favorecendo a hipertrofia muscular; fenilalanina; treonina; metionina; lisina; triptofano (a histidina é um aminoácido essencial na infância e também está contida no Aloe Vera).

Os Aminoácidos são os elementos que compõem as proteinas e enzimas.

Aminoácidos essenciais são aqueles que o organismo não consegue produzir. Fundamentais às funções cerebrais, eles também exercem uma ação direta sobre as reações emocionais. Dentre os oito (9) aminoácidos classificados como essenciais, todos estão presentes na Aloe Vera Barbadensis Miller.

5) Os AMINOÁCIDOS SECUNDÁRIOS

Dentre os 13 secundários,[/] isto é, os que o organismo pode produzir a partir dos 8 essenciais, 10 estão presentes na Barbadensis Miller.

– Ácido Aspártico e Glutâmico;
– Alanina e Arginina;
– Cistina e Glicina;
– Histidina e Hidroxiprolina;
– Prolina e Serina;
– Tirosina;

Aminoácidos não-essenciais:

Alanina, arginina, ácido aspártico, asparagina, ácido glutâmico, cistina, cisteína, glicina, glutamato, hidroxiprolina, prolina, serina e tirosina.

6) As ENZIMAS e seus campos de atuação mais importantes:

– Brandiquinase – Analgésico, anti-inflamatório e estimulante do sistema imunológico;
– Catalase – Evita a acumulação de líquidos no corpo;
– Celulase – Ajuda a digerir a celulose;
– Creatina Fosfoquinase – Enzima muscular;
– Proteolitiase – Liqüidifica as proteínas no seu interior;
– Fosfotase, Amilase e Nucleotidase

7) Algumas outras substâncias conhecidas e importantes, que a Aloe Vera contém:

– Ácidos Graxos – São os ácidos instaurados indispensáveis à saúde. Dentre esses, o ácido Caprílico é utilizado no tratamento de micoses;
– Lignina – Penetra facilmente na pele;
– Saponinas – São ao mesmo tempo depurativas e anti-sépticas;
– Antraquinonas – Analgésicas e laxativas;
– Aloína – Antibiótica e cartática;
– Isobarbaloína – Analgésica e anbitiótica;
– Ácido Aloético – Antibiótico;
Aloe Emodina – Bactericida e Laxativa;
– Ácido Cinâmico – Germicida e fungicida;
– Óleo Etéreo – Tranqüilizante;
– Ácido Crisofânico – Fungicida para a pele;
– Antranol e Resistanol – Proteção da pele, analgésico, antinflamatório.

—————————————————————————————————————

Existem mais de 300 especíes ja catalogada pelos botânicos e algumas referências como a New Word Enciclopedia relata mais de 400 especies. Mas as mais comuns são:

Aloe Vera (Barbadensis miller)
Aloe Saponaria Aloe Saponaria
Aloe Arborescens Miller Aloe Arborescens Miller
Aloe Ferox Aloe Ferox
Aloe Perryi (Socotra) Aloe Perryi (Socotra)

Aloe Chinensis Aloe Chinensis

As mais usadas como medicamento e tratamento interno são: Aloe Vera (Barbadensis miller) e Aloe Arborescens Miller estas duas podem sim ser usadas a menos que a pessoa seja alergica a babosa.

Outras Informações A Cura Atraves da Natureza

De acordo com “Michael Peuser” menos de um por cento da população possue algum tipo de rejeição a planta.

Para comprovar isso é só colocar o gel da planta atras dá orelha e deixar umas duas horas. Se houver qualquer tipo de vermelhidão, erupção ou bolhas cutanêas na aréa. A pessoa não deve fazer o uso.

Reportagem globo aloe vera – Qual a sua opinião?
2.7 (53.33%) 3 votes
-->Aproveite e cadastre seu email abaixo para receber novas atualizações do site. Após colocar o seu email abaixo vai receber um email de confirmação de cadastro não esqueça de clicar.<--

Receba novidades no seu email:

Delivered by FeedBurner

Uma Resposta

  1. Evelyne

Deixe uma resposta

Digite abaixo a numeração *