Benefícios Dos Vegetais Verdes Para Nossa Saúde – Algumas Novidades

Se fôssemos fazer uma lista dos vegetais que mais recebem “cara feia”, os vegetais verdes ganhariam em primeiro lugar. Porém, eles oferecem muitos benefícios à saúde e aqui você ai conhecer quais são. Confira agora quais são os benefícios dos vegetais verdes!

A cor verde no prato nem sempre é bem vinda, mas não podemos ignorar o fato de que os vegetais verdes nos proporcionam mais saúde.

Além disso, não engordam, pois são alimentos fáceis de serem preparados e combinam com várias receitas. Veja a lista de benefícios oferecidos pelos vegetais verdes.

Benefícios dos vegetais verdes

Os vegetais verdes são alimentos ricos em nutrientes. Eles oferecem alto teor de fibras e vitaminas e minerais, colaborando para uma alimentação equilibrada e ajudando o intestino a trabalhar regularmente.

Veja os benefícios que eles oferecem:

– Agrião

É extremamente rico em nutrientes, contendo vitaminas C e E, fósforo, cálcio, iodo, ferro e glicosídeos. O agrião previne o câncer, beneficia a saúde dos ossos, saúde dos dentes e fortalece o sistema imunológico.

– Abobrinha

Entre os benefícios, os principais são as vitaminas do complexo B, vitamina A, potássio, sódio, fósforo, magnésio e cálcio. A abobrinha também previne doenças como esclerose, escorbuto e hematomas. Além disso, ela ainda contém grande quantidade de água e baixo teor calórico.

– Espinafre

Contém alto teor de ferro, água, fibras, niacina, zinco, proteínas e vitaminas A, B6, C, E e K, bem como cálcio, magnésio, fósforo, cobre, manganês e potássio.

– Aipo

Podemos aproveitar as folhas e o caule cru na salada, cozido na sopa ou refogado. Ele oferece como benefícios, fósforo, potássio e vitamina K, além de ser um excelente antioxidante, já que contém luteína, betacaroteno e zeaxantina. Além disso, o aipo ajuda na digestão e a recuperar os músculos.

– Couve

A couve é rica em vitaminas A, B6, C e K, como também magnésio e cálcio. Ela pode ser consumida crua, cozida na sopa, na salada, refogada ou no suco. O vegetal também contribui em manter a massa óssea.

– Ervilhas

Ricas em aminoácidos, ferro, cálcio, vitaminas e proteínas, as ervilhas são indispensáveis para o bom funcionamento do organismo e colabora para a perda de peso, já que mantém a saciedade.

– Pepinos

Seus benefícios são diuréticos e laxantes, além de ajudar o corpo a ficar hidratado, contribuir para a perda de peso, melhorar o trânsito intestinal e até prevenir o câncer. É leve, pouco calórico e funciona como detox, limpando o organismo de todas as toxinas, já que contém muita água.

– Acelga

Rica em ferro, magnésio e vitaminas E e K, a acelga pode ser refogada, na sopa ou consumida crua. Entre os benefícios, ela oferece proteção a membrana das células, em especial, do sistema imunológico.

– Brócolis

Bastante saudável, o brócolis é rico em magnésio, cálcio, ferro e vitaminas A, B6 e C. possui baixo carboidrato, grande quantidade de fibra e, se preparado a vapor, reduz os níveis de colesterol. Além disso, é desintoxicador já que possui fitonutrientes que eliminam as toxinas do corpo.

– Alcachofras

Possui grande quantidade de antioxidantes, além de ser uma excelente fonte de fibra. Também oferece magnésio, cálcio, manganês, ferro e potássio, sendo um diurético natural e contribuindo para a proteção do fígado. Contém baixa caloria e sódio, o que a torna como um ingrediente ideal para a perda de peso.

Aproveite os benefícios dos vegetais verdes e cuide melhor da sua saúde. Permita que o alimento seja seu remédio e o remédio ser teu alimento.

Por Andreia Silveira, colaboradora do site Plano de Saúde.

Dicas de saúde para primavera

A primavera é estação do florescimento. Mas os chineses antigos, em sua profunda relação com a natureza, avançaram mais quando a definiram como sendo elemento Madeira, época inicial do ciclo de vida, a primeira das quatro estações, época de criatividade. E, portanto, de movimento ascendente, a raiz que brota da terra em direção ao céu, o que nos leva ao aspecto do crescimento. Os Meridianos ou Canais de Acupuntura correspondentes a este período são o do FÍGADO (Yin) e da VESÍCULA BILIAR (Yang). A cor é o verde.  Cuidado com os sentimentos de raiva estagnada e depressão. Procure caminhar.

Sucedendo ao inverno, onde o corpo já acumulou energia suficiente, com alimentação mais incorpada, calorenta e maior apetite, a primavera traz a necessidade de aliviar a digestão e preparar o corpo para o verão. Os vegetais deverão ser cozidos ligeiramente. E atenção: não sobrecarregar o fígado com álcool, frituras, comidas gordurosas.  É época de sopas leves com muita variedade. Alimentos neutros, frescos e doces são recomendados. Como o elemento Madeira, que rege o período, tem como sabor característico o ácido, é bom reduzir alimentos desta natureza. Em contrapartida, temos que reforçar o doce e o picante. O sabor amargo e salgado devem ser consumidos normalmente.

SUGESTÃO DE ALIMENTOS QUE HARMONIZAM A ENERGIA DO FÍGADO E VESÍCULA BILIAR:
– USE TEMPEROS LEVES COMO COENTRO, SALSA, CEBOLINHA, SÁLVIA, MANJERICÃO, HORTELÃ, ORÉGANO
– NÃO FAÇA ECONOMIA NO USO DE FOLHAS E BROTOS
– FRUTAS: FRAMBOESA (nutre e reforça fígado e rins) – UVA (tonifica yin do fígado)

RECEITAS DE OUTONO:

1 – Yakisoba de legumes é prato típico desta época do ano. Pode, ainda, ser feito com carne ou frango, mas moderadamente. Os chineses não têm o menor preconceito em relação às carnes, mas sempre como moderação.

YAKISOBA DE FRANGO

Ingredientes:

– Massa para yakisoba.
– peito de frango sem osso, cortado em cubinhos.
– legumes:
cebola cortada em pedaços – acelga – repolho – cenoura – brócolis – couve-flor –   cogumelo de Paris cortado em fatinhas fininhas .
– Molho shoyo – É importante sempre procurar comprar molho Shoyo sem adição de glutamato monossódico.  Existem  também no mercado marcas que contêm menos quantidade de sal.
– óleo de gergelim
– molho de ostra (optativo, mas dá o gosto característico do Yakisoba)

COMO FAZER:

Ponha óleo numa frigideira mais próxima ao WOK chinês (mais profunda para que o calor se espalhe por toda a superfície e fique bem quente e os legumes crocantes; a cozinha chinesa não costuma cozinhar muito os alimentos). Deixe aquecer bem, coloque o frango em cubinhos e deixe cozinhar. Quando você sentir que eles estão bem cozidos, coloque as cebolas. Atenção: é tudo uma questão de cronometria, pois se não se observar bem o tempo de colocação dos legumes, uns vão ficar muito cozidos e outros não.

Coloque em seguida as cenouras. Aproximadamente cinco minutos depois, coloque a couve-flor e o brócolis que têm praticamente o mesmo tempo de cozimento. Em seguida ponha os cogumelos. Por último, e isso tudo leva uns dez minutos, coloque as folhas. Pode-se aproveitar as folhas da couve-flor.

Assim que o brócolis e a couve-flor estiverem cozidos, mas não muito, só ligeiramente crocantes, ponha uma concha de caldo de frango. A finalidade é do molho shoyo não ficar muito forte. Jogue uma colher de molho de ostra, e duas colheres de óleo de gergelim. Dê, então, ligeira engrossada com farinha de trigo.

Cozinhe a massa. Massa tipo chinesa demora um pouco mais, porém, menos que a massa italiana. Já o macarrão japonês é muito mais rápido.  E está pronto, só servir. Se puder usar hachi, aqueles pauzinhos de preferência, assim se come aos bocadinhos e se mastiga melhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *