Anticoncepcional Oral – Isso existe

Anticoncepcional Oral. Mais do que apenas controle de natalidade. Algumas das pílulas de controle anticoncepcional criadas mais ou menos na década de 1960, numa altura em que tanto as mulheres e a medicina foram evoluindo rapidamente.

Anticoncepcional Oral

Hoje vou falar de um assunto no qual esta relacionado diretamente as mulheres.

Antes que possa surgir a dúvida pelo motivo com a demora do novo tópico vou explicar bem rápido. Não tenho somente esse site Harmonia Natureza tenho alguns outros e trabalho com informática e sou representante de uma empresa na área de perfumaria e cosméticos. Boa parte do meu tempo esta ficando para a informática e a minha equipe que esta crescendo bem rápido na empresa de perfumaria. Com isso vou precisar diminuir um pouco o tempo dos novos tópicos porém não vou parar pois adoro o que faço.

Mas voltando ao assunto original.

Pesquisadores descobriram que o uso dos hormônios femininos estrogênio e progesterona em uma pílula poderia enganar o corpo não ovulando e os ovários não estaria liberando um óvulo. Ou seja, no dito popular sem bebês. O que os pesquisadores não perceberam no momento, foi que essas pílulas poderiam ter outros efeitos significativamente positivos sobre o corpo.

O ponto é que pílulas de anticoncepcional oral foram inicialmente criadas para o controle da natalidade, mas elas se tornaram muito mais além de somente o controle.

Pílula e seus efeitos colaterais

Os comprimidos no início continha altas doses de dois hormônios, o que significava que os efeitos colaterais foram muito mais pronunciados do que são hoje. Com o tempo, descobrimos que doses mais baixas podem ser igualmente eficazes em parar a ovulação, enquanto produzem menos efeitos colaterais e mais gerenciáveis.

Hoje, os efeitos colaterais comuns dessas pílulas incluem sensibilidade nos seios, náuseas e alterações de humor.

Coágulos de sangue

O maior risco de tomar a pílula é que ela aumenta um pouco suas chances de desenvolver um coágulo de sangue que pode levar a um acidente vascular cerebral, ataque cardíaco ou pulmonar. Pessoas que tem uma predisposição genética para esses coágulos nunca deve ter contato ou algo que aumente esse risco.

Fumantes e mulheres acima de 35 também tem um risco maior de coágulos de sangue quando estão tomando a pílula. Portanto, fumantes com mais de 35 não devem tomar a pílula anticoncepcional oral. A mulher média, no entanto, quando ela está grávida, é seis vezes a mais com probabilidades de desenvolver um coágulo do que quando ela está tomando a pílula anticoncepcional.

Alguns resultados de pesquisas anteriores sugerem um risco câncer de mama entre as mulheres que usam a pílula, mas a pesquisa que é mais recente não demonstrou o risco de ser significativo. Um risco de câncer de colo uterino tem sido demonstrado em utilizadoras da pílula anticoncepcional, no entanto mas desde que nós sabemos agora que o vírus do papiloma humano (HPV) é a principal causa deste tipo de câncer, esse link não é completamente compreendido.

O que mais pode fazer a pílula?

Como seu nome sugere, pílulas anticoncepcionais e contraceptivas orais foram inicialmente desenvolvidas para interromper a gravidez. Mas logo ficou evidente que as mulheres ao tomar a pílula estavam desfrutando de alguns benefícios, que foram bastante significativos, e alguns médicos começaram a prescrever a pílula por outros motivos além da questão da gravidez.

Por um lado, a pílula suprime a ovulação e dilui o revestimento do útero um efeito colateral que alivia muitas mulheres dos sintomas dolorosos, em períodos pesados.

Outras vantagens da pílula: Os cistos no ovaria, que se desenvolvem no local da ovulação, são menos propensos a se formar se não há ovulação. Também ajuda no tratamento de algumas mulheres com a chamada síndrome dos ovários policísticos, um distúrbio em que os ovários, em vez de ovular adequadamente, formam quistos múltiplos.

Anticoncepcional oral contra certos tipos de câncer

Algumas pesquisas vêm demonstrando que a sua utilização por um ano diminui o risco de uma mulher ter câncer de ovário em 10 por cento a 12 por cento, após cinco anos de uso, esse risco diminui em mais de 50 por cento.

Algumas pesquisas antigas tinham a idéia que o útero deveria ser permitido o sangramento, ocasionalmente, nos últimos anos, no entanto, foi descoberto que as mulheres podem tomar a pílula continuamente. O resultado de tudo isto é que as mulheres que sofreram durante anos com cefaléia menstrual, sintomas graves, e muitas menstruações relacionadas com outras doenças hoje podem ver por outro lado com as pílulas.

Isso pode ter um efeito positivo sobre os hormônios que contribuem para a acne, e ajuda a diminuir este flagelo dermatológico.

As mulheres têm evoluído em um ritmo acelerado. Mas estas escolhas de usar ou não as pílulas podem resultar em um aumento significativo de ciclos ovulatórios, resultando em ovário e endométrio, câncer de riscos. E, claro, também pode significar mais TPM, cólicas menstruais, cistos ovarianos, acne e etc.

Obviamente é certo para todas, e vale a pena discutir cuidadosamente com seu médico se você está sofrendo se o uso da pílula seria a mais indicada.

Avalie
2 Comments

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*